Você nunca vai ter o melhor de mim

TOPO - Melhor de mim

Não, dessa vez eu não vou cair no seu jogo. Eu achava que você fazia tudo certo por mim. Eu devia estar completamente maluco quando permiti me dar ouvidos a você. É, eu estava louco.

Não, essa sua cara não vai me fazer voltar atrás. Você espera que eu me importe com isso, mas eu realmente não ligo. Suas palavras não tem mais efeito sob mim. Guarde tudo para você. Eu queria poder acreditar em você, mas graças a Deus você estragou tudo.

Agora eu sei que você nunca teve o melhor de mim. Eu tentei, fiz tudo que pode. Sofri por um longo tempo. Você duvidou de mim, não achou que eu seria capaz, mas eu fui. Deu, chega!

Não adianta pedir desculpas, tudo que vai, volta. Você nunca teve e nunca terá o melhor de mim. O mundo é repleto de pessoas que merecem, menos você. Pegue todas suas ofensas, suas mágoas e deposite em outro alguém.

Não, eu não te odeio. Te desejo sempre o melhor. Isso não é sobre vingança. É sobre você que poderia ter tudo de mim, mas não foi capaz de dar tudo de você.

Anúncios

[POEMA] Isso não é sobre você

E ae, tudo certo? Fazia tempo que eu não atualizava meus poemas. Sendo assim, esse acabou de sair do forno. Espero que gostem e um bom fim de semana a todos!

TOPO - Isso não é sobre você

Ele havia perdido todas as suas forças.
Pessoas sugavam sua energia o tempo todo.
Incrível como um sorriso pode esconder muitas coisas.
Ele estava sofrendo e ninguém estava percebendo.

Ele sorria com vontade de chorar.
Não acreditava mais em si mesmo.
Sua fé estava perdida e sua confiança abalada.
Isso não era sobre alguém, era sobre si mesmo.

No espelho, ele não via mais seu reflexo.
O mundo o estava machucando.
Ele precisava buscar a luz que haviam lhe roubado.
Suas mãos estavam cheias de culpa.

Ele pensa ser só mais um nesse mundo.
Não era sobre ser perfeito, era sobre não conseguir colorir dentro das linhas.
Ele não sabia a forma correta de lidar com os problemas.
Ligou o botão do silencioso e apenas continuou respirando.

Repito, isso não é sobre você.
É sobre mim, sobre nós.
Sobre todos os dias ruins, dias de tempestades internas.
Dias em que todas as forças se acabam e você se perde.

 

Por Vagner Zimmermann

[Poema] Última Chance

E aí, tudo bem? Saindo do forno mais um poema meu. Tenho tantos guardados que daria até para escrever um livro. Hahahaha. Espero que gostem!

TOPO - Última Chance

Você ainda não percebeu, né?
Tenho deixado coisas nas entrelinhas, eu sei. Não me leve a mal.
Não sou muito bom em demonstrar sentimentos.

Para de procurar e me encontra.
Facilita vai, não precisa ter medo.
Apaga as sombras do teu passado e me dá uma chance.

Você pode ter tudo que quiser, basta olhar para o seu lado.
Abro mão de tudo por você.
Não perde tempo, vem.

Vai, não tá tão difícil assim de entender.
Não consigo mais esconder meu ciúme de você.
Você pertence a mim.

O nosso final feliz depende da tua resposta.
Não faz assim, se entrega.
Segura minha mão e vamos viver isso juntos.

Tá tão fácil me ganhar, colabora vai.
Não precisa dizer sim, basta sorrir.
Eu posso te fazer feliz.

É a última chance.
A última chamada, atende.
Por favor, eu te necessito.

 

Por Vagner Zimmermann

[POEMA] Queria poder voltar no tempo…

Oie. Vocês já devem saber que volta e meia eu faço uns rabiscos por aqui. Pensamentos meus, acúmulos de ideias, mente transbordando de sentimentos. Esse é mais um que faz parte da categoria de poemas. Espero que gostem! 🙂

TOPO - Queria poder voltar no tempo

Fazer o que eu não fiz, dizer o que eu não disse e viver o que a vida não me deu a oportunidade de viver.
Talvez eu tenha seguido pelo caminho oposto, quem sabe eu não reconheci meus erros a tempo ou quando caí, eu nunca soube como levantar.
Quanto tempo eu perdi lutando por lugares e pessoas que nunca me retribuíram. Me doei demais e recebi tampouco. Não gostei do eco que o tempo me deu.
Sonhei e não realizei. Apostei e perdi. Brinquei e sorri. Momentos que se foram e não voltam mais. Lembranças que ficaram guardadas aqui dentro do peito.
Amores perdidos, amizades desfeitas e corações partidos. Quem sabe fui eu que não dei conta de lidar com meus próprios demônios, meus próprios medos ou apenas minhas palavras.
Quantas respostas que deixei de dar, quantos momentos fugi apenas para não chorar, coisas que hoje só me permitem relembrar.
Ah se eu pudesse… Voltaria, mudaria, diria, sorriria, ganharia, mas também perderia. Mas eu não posso, o que passou já ficou pra trás. Não me cabe mais ficar pensando no que fiz ou deixei de fazer. Preciso seguir em frente.
Mudanças não são fáceis, dizer o que se sente muito menos. Prometer não errar é complicado, eu tento, mas não sou perfeito.
Enquanto me perdia escrevendo esses trechos, a vida passou e me perdi mais uma vez no tempo.

 

Por Vagner Zimmermann

[POEMA] Eu espero por você

Eu espero por você

A cada tic tac do relógio, é um pedaço meu que se desfaz. Minhas pernas tremem, meu coração samba. Assim como no mais doce sonho, eu estou esperando por você.
Eu não posso fechar os olhos, entrar aí dentro, mudar tudo que você sente. Eu consigo acreditar que podemos ser algo a mais do que bons amigos. A cada lágrima que desce, eu espero por você.
Você se mantém em todos os meus pensamentos. Estou engolindo algo amargo e ruim, mas continuo esperando por você.
Só uma única chance. Um sinal, pelo menos. Um sorriso, um piscar de olhos, um toque. Qualquer coisa. Eu acredito e ainda assim, estou esperando você.
Não demora. Minha paciência não é infinita e meu coração não é tão forte assim. Vem! Não deixa isso se perder. Joga tudo pro alto, esquece o passado e vem. Eu te espero!
Eu imploro. Eu clamo. Larga tudo e vem correndo. Minhas pernas estão cansadas, o ponteiro do relógio já completou o ciclo algumas vezes. Acelera a velocidade.
Não sei por quanto tempo, mas te espero aqui, ali. Seja lá onde for! Vem.

Por Vagner Zimmermann

[POEMA] Me Diga

Me Diga

Por favor, me diga que mudei. Diga que sou diferente.
Me diga que sou forte e que posso suportar.
Diga que essa chama não vai apagar.
Não me deixe desistir.

Uma chance. Me diga, eu quero sentir.
Eu sou fraco, desencorajado. Diga-me que não.
Me diz que podemos nos encontrar.
Me entenda, por favor.

Eu posso te fazer feliz, me diz.
Me permita andar ao seu lado. Me diga que sim.
Eu vou te deixar partir. Diga que esse é o maior erro que posso cometer.
Estou caindo, me segura.

Eu estou pronto para acreditar. Me diga também.
Diga-me que também quer jogar tudo para o alto.
Fixe teu olhar no meu e apenas diga que sim.
Eu amo você, me diga também.

 

Por Vagner Zimmermann

[POEMA] Desmorone

Hoje, resolvi inaugurar uma nova categoria aqui no blog, a de Poemas. Desde criança sempre gostei de escrever. Escrevia para fugir dos problemas, para desabafar, para compartilhar alegrias e dividir as tristezas com o papel. Com o tempo, fui aguçando essa paixão. Mesmo com a correria do dia a dia, volta e meia, ainda escrevo a mim mesmo. Espero que gostem! 😀

Desmorone

Se auto destrua, exploda-se em caquinhos. Tome aquela pílula amarga da dor, da desilusão, do erro. Permita-se!

Aja por impulso, tome decisões erradas, vire-se do avesso. Respire, se reconstrua. Voe para longe, se jogue contra o vento, reme contra a maré. Coragem!

Coma mais do que sua barriga aguenta. Ande descalço pela cidade. Tropece no primeiro obstáculo. Deixe o sangue escorrer. Remova toda a maquiagem exterior e interior. Transpareça!

Chore na frente do mundo. Grite quando estiver tudo em silêncio. Seja criança. Sorria para estranhos. Fale com os animais. Desmarque compromissos. Desligue todos seus localizadores. Desfaça algumas amizades. Coloque uma música estranha e dance. Experimente!

Seja fraco. Volte a adolescência. Sinta raiva, ódio, desprezo. Perdoe a si mesmo. Gere discussões. Jogue tudo para o alto. Beba todas e mais um pouco. Perca o caminho de casa. Viva!

Diga ao seu superior que ele é um bosta. Olhe no espelho e se odeie. Mude a cor e o corte dos cabelos. Vista novas roupas. Surpreenda!

Faça tudo isso, e sobretudo, desmorone e recomece sempre que possível.

Por Vagner Zimmermann

 

Se você gostou, compartilha esse post com seus amigos.

Não dói nada, viu? 😉

Até a próxima!